Articles

A ‘Gramática do Português’ da Fundação Gulbenkian

In Defesa da Língua Portuguesa, Língua Portuguesa Internacional, O Mundo de Língua Portuguesa on 8 de Janeiro de 2014 by ronsoar Tagged: , , , ,

Da Rádio Renascença e da Fundação Calouste Gulbenkian (Lisboa, Portugal)

.
Foram publicados em outubro de 2013 os dois primeiros volumes da Gramática do Português pela Fundação Calouste Gulbenkian, com cerca de 2.400 páginas.

Esta obra é o resultado de um projeto iniciado há 13 anos, e que contou com a colaboração de 40 professores e investigadores de 12 universidades portuguesas e estrangeiras.

O trabalho concilia a visão da chamada gramática tradicional com os avanços dos estudos de linguística de meados do século XX. A Gramática esclarece os usos formais do português e fornece explicações linguísticas para os desvios dos usos comuns da Língua.

“Uma das características mais salientes da Gramática da Gulbenkian, e que a distingue doutras gramáticas, reside precisamente em aproveitar estes dois tipos de resultados no âmbito da investigação sobre o português, alcançados por numerosos linguistas nos últimos quarenta e poucos anos”, disse o professor do Centro de Linguística da Universidade de Lisboa, Eduardo Paiva Raposo, que apresentou a obra na Fundação Gulbenkian.

“Só uma equipa vasta de linguistas, especialistas em diferentes áreas, poderia ter realizado esta obra”, assim elogia o equilíbrio entre a diversidade de temas e a uniformização de estilo e de conceitos. Segundo Raposo, “o uso de uma terminologia e de um modelo fundamentados na gramática tradicional, bem como o objetivo de realizar uma obra uniforme, tanto teórica como estilisticamente, e não uma coleção solta de textos sem um fio condutor, levou a um intenso esforço de harmonização da Gramática por parte da Comissão Organizadora”.

Manuel Carmelo Rosa, diretor do Serviço de Educação e Bolsas da Fundação Gulbenkian, concorda: “É uma gramática de muita qualidade que nos permite, a nós todos – e eu me incluo nisso – ter acesso a um instrumento que nos vai ajudar a clarificar dúvidas relativamente à qualidade e à forma como nós devemos utilizar a Língua Portuguesa.”

–– Conciliar prescrição gramatical com avanços da linguística ––
A nova obra procura dar uma abordagem internacional da Língua Portuguesa: baseia-se no chamado português europeu “culto” contemporâneo, mas mostra também a dimensão geográfica da Língua, com a dialetologia de Portugal e com os usos linguísticos no Brasil, em Angola e em Moçambique. Com mais de 16 mil exemplos de usos do português, a Gramática da Gulbenkian foi concebida como um suporte para tirar dúvidas e aprofundar conhecimentos sobre fenómenos da Língua.

O projeto da Gramática do Português tem a chancela do Plano de Edições da Fundação Calouste Gulbenkian: o terceiro volume está previsto para lançamento em 2015.
 

Um dos pontos de dúvidas é explicado pela também professora do Centro de Linguística da Universidade de Lisboa, Maria Antónia Mota, uma das cinco coordenadoras do projeto: “Por exemplo: há uma tendência que se amplifica hoje em dia de pluralizar o verbo ‘haver’. E, portanto, nós ouvimos muitas pessoas dizerem: ‘haviam várias pessoas na sala’. O facto de nós verificarmos que muitos falantes cultos usam essa forma faz com que nós a encaremos.”

A forma pluralizada do verbo “haver” não é aceite segundo a Gramática do Português, mas a professora fornece uma explicação linguística para a sua ocorrência: “Os falantes que dizem ‘havia três pessoas na sala’, eles põem o verbo ‘haver’ como um verbo impessoal. E então, ‘as três pessoas na sala’ é um complemento do verbo. E depois, as pessoas que dizem ‘haviam três pessoas na sala’, elas vão interpretar ‘as três pessoas na sala’ como um sujeito deslocado à direita do verbo.”

A obra – cujo terceiro volume está previsto para ser lançado em 2015 – foi apresentada na Conferência Internacional de Educação ocorrida na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, em 28 de outubro de 2013. Destina-se a quem tem um nível de instrução médio ou superior e quer utilizar bem a Língua Portuguesa.

Trata-se de uma obra com a chancela do Plano de Edições da Fundação Calouste Gulbenkian, aguardada há muitos anos, e uma ferramenta de grande utilidade a quem tem a Língua Portuguesa como meio de expressão e instrumento de trabalho.  :::

.
• Reportagem de Inês Timóteo, da Fundação Calouste Gulbenkian, sobre o lançamento dos dois primeiros volumes de Gramática do Português:

.
–– Extraído da Rádio Renascença e da Fundação Calouste Gulbenkian (Lisboa, Portugal) ––

.
*              *              *

Leia também:
Conferência Internacional de Educação em Lisboa: os livros e a leitura na Era Digital – 25 de outubro de 2013

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: