Articles

Deputados de Macau pedem mais formação de tradutores bilingues português-chinês

In Defesa da Língua Portuguesa, Língua Portuguesa Internacional, Lusofonia e Diversidade on 4 de Dezembro de 2013 by ronsoar Tagged: , , , , ,

Maria Caetano
do jornal Ponto Final (Macau, China)
27 de novembro de 2013

Os deputados Vong Hin Fai, Gabriel Tong e José Pereira Coutinho pedem por mais investimentos para formar em Macau novos tradutores-intérpretes de português e de chinês.
 

.
Vong Hin Fai, Gabriel Tong e Pereira Coutinho pedem investimento na formação de tradutores-intérpretes e no Gabinete de Apoio ao Secretariado do Fórum de Macau. Falta pessoal para responder às “expectativas” de Pequim. Francis Tam reconhece a necessidade.

A formação de tradutores intérpretes de Línguas portuguesa e chinesa foi ontem [26 de novembro] uma exigência deixada por três deputados à Assembleia Legislativa. José Pereira Coutinho, Gabriel Tong e Vong Hin Fai alertaram o secretário para a Economia e Finanças, Francis Tam, para a necessidade de investir mais recursos no Gabinete de Apoio ao Secretariado Permanente do Fórum de Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, para a realização dos objetivos do Plano de Ação [de Lisboa] assinado este mês [em novembro] pelos países-membros do órgão.

O gabinete “precisa de desempenhar um maior papel e precisa de mais mão de obra”, defendeu Gabriel Tong. “Parece que o Governo da RAEM [Região Administrativa Especial de Macau] não tem muitas pessoas a trabalhar neste âmbito”, afirmou, contando dez pessoas ao serviço do secretariado permanente do organismo.

Segundo Francis Tam, o gabinete de apoio tem atualmente “cerca de 30 trabalhadores”. O secretário lembrou que é este organismo que se encontra sob a alçada do governo, já que o secretariado do Fórum de Macau, dirigido por Chang Hexi, se encontra na dependência do Ministério do Comércio chinês.

Tam diz que “a qualidade do trabalho é assegurada”, mas reconhece a necessidade de investir mais. “Sim, temos essa necessidade”, afirmou.

No entanto, lembrou, também Pequim tem investido na formação de tradutores-intérpretes de português-chinês. “Desde a criação do Gabinete de Apoio, na China, há mais instituições de ensino superior a formar talentos de Língua Portuguesa. A formação não acontece só aqui em Macau”, disse.

“A China também consegue ver oportunidades. É um bom sinal para que haja um desenvolvimento das relações. Foi investido muito na formação em Macau e também na China”, assegurou.

Para José Pereira Coutinho, “há uma grande falta de tradutores-intérpretes” também na administração pública. “O Governo raramente contrata”. Formar, juntou, “não é algo que se possa fazer de um dia para o outro”. Segundo dados apresentados pela secretária para a Administração e Justiça, Florinda Chan, 20 por cento dos formados em tradução localmente são absorvidos para os quadros da função pública.

A preocupação com a falta de profissionais bilingues é partilhada pelo deputado Vong Hin Fai. “A parte chinesa reconheceu esse papel e também deposita expectativas, inclusivamente na formação de pessoal bilingue. Como é que podemos ter mais pessoas, talentos nesta área?”, questionou.

Vong Hin Fai sugeriu a utilização do Centro de Formação do Fórum de Macau para a execução da tarefa. “Já que temos tão grande falta de tradutores-intérpretes de Língua Portuguesa e de língua chinesa, o que é que podemos fazer para formar mais? Os diferentes secretários devem pensar nesta questão”, incentivou Vong Hin Fai.

“Precisamos sempre de tradutores-intérpretes”, afirmou Tam. O secretário lamentou também a falha em não ter entregado uma versão em português de um documento relativo ao número de trabalhadores não residentes ao serviço do sector do jogo e em cargos de supervisão que foi distribuído aos deputados na segunda-feira [22 de setembro], depois de Coutinho ter lembrado que a Assembleia Legislativa também é um órgão com funcionamento bilingue.  :::

.
CAETANO, Maria. Deputados pedem mais formação de bilingues.
Extraído do jornal Ponto Final – Macau, China.
Publicado em: 27 nov. 2013.

.
*              *              *

Leia também:
Deputada Melinda Chan defende educação bilingue português-chinês em Macau – 03 de julho de 2013
Macau: novo protocolo de formação de intérpretes-tradutores em chinês e português – 22 de novembro de 2012
Macau: Português como “Língua internacional” de trabalho para intérpretes – 03 de julho de 2012

Uma resposta to “Deputados de Macau pedem mais formação de tradutores bilingues português-chinês”

  1. Reblogged this on zarpante and commented:
    Português na Ásia!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: