Articles

Entrada no Mercosul dispara interesse pela Língua Portuguesa na Venezuela, diz leitor do Camões

In Defesa da Língua Portuguesa, Língua Portuguesa Internacional on 12 de Setembro de 2013 by ronsoar Tagged: , , ,

Da Agência Lusa
11 de setembro de 2013

Caracas, capital e maior cidade da Venezuela – com a adesão ao Mercado Comum do Sul, cresceu o interesse dos venezuelanos pelo aprendizado da Língua Portuguesa.
 

A entrada da Venezuela no Mercosul [o Mercado Comum do Sul] está a disparar o interesse dos venezuelanos pela Língua Portuguesa, vista como uma oportunidade de trabalho e de conhecer melhor o Brasil e Portugal, país que gera grande interesse.

“Nos últimos anos tem-se visto que há um grande potencial, na Venezuela, do público venezuelano que não tem raízes portuguesas, em aprender a Língua Portuguesa. Cada vez há um maior interesse e isso tem-me sido manifestado através dos vários atores educativos aqui na Venezuela”, disse o novo leitor do Instituto Camões [atual Camões – Instituto da Cooperação e da Língua] e coordenador do Ensino do Português na Venezuela.

Em declarações à Agência Lusa, Rainer Sousa afirmou que as razões para esse crescente interesse prendem-se com “expectativas profissionais”, pois “aprender uma Língua sempre abre portas no mercado laboral” – realidade acentuada com a entrada da Venezuela no Mercosul.

“Temos o Brasil aqui ao lado. É a maior economia latino-americana e há um grande interesse por conhecer a Língua do vizinho. E realmente aí entramos nós como professores e na coordenação do Ensino do Português”, disse.

O responsável do Camões lembrou ainda “a grande população lusodescendente na Venezuela, que é notável e que está representada em quase todos os âmbitos da vida venezuelana”.

Rainer Sousa é o novo leitor do Camões e coordenador de Ensino de Português na Venezuela: “Aprender uma Língua sempre abre portas no mercado laboral.”
 

Para Rainer Sousa, contribui também para esse crescente interesse pela aprendizagem da Língua Portuguesa o aprofundamento das relações económicas bilaterais entre Portugal e a Venezuela.

“Estes acordos que têm sido feitos entre os governos venezuelano e português têm levado Portugal à ribalta aqui na Venezuela. Muita gente já fala mais de Portugal, sabe que há tecnologia em Portugal que está a ser exportada para a Venezuela e há um interesse por conhecer também Portugal”, afirmou.

Em relação ao que pensa desenvolver como novo leitor do Instituto Camões e coordenador da Língua Portuguesa, destacou o objetivo de “oficializar o Ensino do Português na Venezuela através de projetos que o Instituto Camões tem nesse sentido”.

“Também começar a profissionalizar todas aquelas pessoas que na Venezuela dão aulas de português, que, com muito talento, com muita garra, têm ensinado português durante os últimos 10 a 15 anos e têm muita experiência acumulada, mas não têm as devidas credenciais perante as autoridades educativas na Venezuela”, disse.

O Instituto Camões quer ainda avançar com um curso de Ensino do Português como Língua Estrangeira e a divulgação e a promoção da Língua Portuguesa junto do público venezuelano em geral.

“[Queremos] começar a trabalhar numa rede de professores de Língua Portuguesa aqui na Venezuela – oficial. Então, isso vai trazer grandes mudanças quanto ao Ensino do Português na Venezuela”, concluiu.  :::

.
*              *              *

–– Um pouco sobre a Venezuela ––
A Venezuela é o país que possui o 5º. maior PIB [Produto Interno Bruto] da América Latina e um dos principais países exportadores de petróleo no mundo. O país foi aceito, em julho de 2012, como membro pleno do Mercosul, o bloco económico de união aduaneira também constituído por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai.

Com pouco mais de 29 milhões de habitantes, a Venezuela é o quinto país mais populoso da América do Sul. O espanhol é a língua nacional oficial. A Língua Portuguesa ganha cada vez mais importância para seu uso e estudo na Venezuela, não apenas por sua vizinhança com o Brasil, mas também pela presença de uma das maiores comunidades portuguesas na América do Sul, com 400 mil pessoas nos números oficiais, e que sobe para 1,3 milhão de pessoas se contados os lusodescendentes.  :::

.
–– Extraído da Agência Lusa ––

*              *              *

Leia também:
Venezuela quer mais funcionários que falem Português pelo Mercosul – 23 de junho de 2013

2 Respostas to “Entrada no Mercosul dispara interesse pela Língua Portuguesa na Venezuela, diz leitor do Camões”

  1. É muito bom saber que a minha/nossa Língua Mãe continua a crescer, em interesse e falantes!
    Por outras vias, diferentes das antigas, Portugal atingirá de novo, o esplendor que merece!
    Maria Mamede

  2. Realmente, o objetivo de “oficializar o Ensino do Português na Venezuela através de projetos que o Instituto Camões tem nesse sentido” é algo muito promissor a todos que amam o português e anseiam por disseminar cada vez mais nosso idioma no mundo.
    Parabéns a todos!

    Vito Marino

    -autor de “A IDADE MÉDIA E A CRIAÇÃO DO GRAAL”

    http://www.livrariacultura.com.br/Produto/LIVRO/IDADE-MEDIA-E-A-CRIACAO-DO-GRAAL-A/42127071

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: