Articles

Academia Brasileira: Ramos-Horta defende fortalecimento da CPLP

In Defesa da Língua Portuguesa, Língua Portuguesa Internacional, O Mundo de Língua Portuguesa on 22 de Agosto de 2013 by ronsoar Tagged: , , , , , , ,

Do sítio da Academia Brasileira de Letras

Em visita à Academia Brasileira de Letras, José Ramos-Horta defendeu a maior integração entre os países lusófonos e o fortalecimento da CPLP.
 

.
O alto representante das Nações Unidas na Guiné-Bissau e ex-presidente de Timor-Leste, José Ramos-Horta, defendeu na Academia Brasileira de Letras, no Rio de Janeiro, o fortalecimento da Comunidade de Países da Língua Portuguesa (CPLP), para dinamizar a integração entre os povos lusófonos.

Ele lembrou que Timor-Leste assumirá a presidência rotativa da CPLP no ano que vem. “Será uma grande oportunidade para que utilizemos toda a moderna tecnologia em benefício da divulgação e da conscientização dos jovens sobre a importância da Comunidade.”

Sérgio Vieira de Mello ao lado de Ramos-Horta no retorno a Timor-Leste após o exílio, em foto de 1999.

A afirmação de Ramos-Horta foi feita durante mesa-redonda ali realizada, presidida pelo acadêmico Alberto da Costa e Silva, por ocasião do lançamento, no dia 15 de agosto, quinta-feira, na sede da Academia Brasileira, do livro Timor Amor, com poemas do autor português Ruy Cinatti (1915-1986), organizado por Vasco Rosa.

Uma das lideranças históricas da independência timorense, José Ramos-Horta foi laureado com o Prêmio Nobel da Paz de 1996, ao lado de D. Carlos Filipe Ximenes Belo, bispo emérito de Díli. Exerceu a presidência da República Democrática de Timor-Leste entre 2007 e 2012. Em seguida, foi nomeado pelas Nações Unidas em janeiro de 2013 como representante do Secretariado-Geral da ONU para a Guiné-Bissau.

Estavam presentes ao evento a presidente da Academia Brasileira de Letras, Ana Maria Machado, e os membros da Academia, Nélida Piñon, Cícero Sandroni, Evanildo Bechara e Domício Proença Filho.

–– Ramos-Horta homenageou Sérgio Vieira de Mello ––
José Ramos-Horta, durante sua fala, não poupou elogios ao diplomata brasileiro Sérgio Vieira de Mello (1948-2003), falecido em Bagdá, no dia 19 de agosto de 2003, há exatamente dez anos, por causa da explosão de uma bomba no Hotel Canal, que abrigava funcionários da Organização das Nações Unidas (ONU) na capital iraquiana.

O atentado, no qual 22 pessoas morreram e mais de 200 ficaram feridas, é considerado até hoje o mais sério ataque à ONU desde a sua fundação em 1945.

Sérgio Vieira de Mello era alto comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos e representante especial do Secretário-Geral da ONU no Iraque: “A trajetória de Sérgio foi das mais importantes, principalmente como mediador de conflitos. Foi, juntamente com timorenses, um líder no processo de independência do Timor-Leste”, lembrou José Ramos Horta.

–– Timor Amor: lançado livro com poemas de Ruy Cinatti ––

Lançado no Brasil o livro Timor Amor, com poemas de Ruy Cinatti (1915-1986).

O livro Timor Amor é a primeira publicação dedicada à obra de Ruy Cinatti no Brasil. Trata-se de uma antologia organizada por Vasco Rosa e nela estão alguns dos escritos do poeta português sobre a ilha de Timor. O poeta desenvolveu uma intensa atividade de reconhecimento da ilha que então abrigava o Timor Português, além de explorações botânicas e florestais. Sua vivência na ilha e com a ilha deu forma a uma obra poética original.

“Vivo as paisagens ao sabor dos afetos da alma. Sinto-as mais ou menos como sinto a sede, a fome ou outro qualquer desequilíbrio fisiológico, com a diferença de que a alma não tem limites nem tempo para se saciar. É como se a elas me prendessem – filhos da mesma mãe –, igual cordão de placenta e o sangue vibrasse unânime às diversas reações que as perspectivas, formas e coloridos possam despertar. Daí o sentir-me igual, quer me encontre num deserto frente ao magnificente mistério dos astros, quer como elemento contemplativo no organismo vivo da floresta tropical”, escreveu Cinatti em um de seus textos selecionados para o livro.

Participaram da mesa-redonda, além do ex-presidente timorense José Ramos-Horta e de Alberto da Costa e Silva, profissionais como Letícia Villela Lima da Costa e Gisela Pinto Zincone, da Editora Gryphus, responsável pela publicação do livro.

Compareceram também ao lançamento o embaixador de Portugal no Brasil, António de Souza e Silva; o embaixador de Timor-Leste no Brasil, Domingos de Sousa; e o cônsul de Portugal, Nuno de Bello Mello.

.
–– Extraído do sítio da Academia Brasileira de Letras ––

Uma resposta to “Academia Brasileira: Ramos-Horta defende fortalecimento da CPLP”

  1. Como fieis a todos os movimentos que unam os povos e se construa um mundo de fraternidade congratula-se a Korsang di Melaka – ONGD com a noticia
    Bem hajam

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: