Articles

China: município de Pequim reforça relações económicas com Macau e com a Lusofonia

In O Mundo de Língua Portuguesa on 14 de Julho de 2013 by ronsoar Tagged: , , ,

Do sítio Macauhub (Macau, China) e da RTP (Portugal)

Em 10 de julho, foram assinados acordos de projetos comerciais e protocolos de cooperação entre o município de Pequim e a Região de Macau durante o 2º Seminário para a Cooperação e Intercâmbio ocorrido em Macau.
 

.
“O município de Pequim pretende, através de Macau, estabelecer um relacionamento mais forte com os países de Língua Portuguesa”, disse Li Luxia, vice-diretor do Escritório de Pequim do Conselho para a Promoção do Comércio Externo da China.

No decurso do 2º Simpósio de Cooperação e Intercâmbio Pequim-Macau, em que foram assinados acordos relativos a 57 projetos no montante de 6,21 mil milhões de iuanes (774,7 milhões de euros), Li adiantou que, igualmente através de Macau, Pequim pretende ainda explorar mercados na Europa e na América do Sul.

Li Luxia adiantou que Pequim pretende ainda aprofundar a cooperação com Macau no que respeita ao desenvolvimento da indústria de exposições e conferências, indo convidar delegações de Macau a participarem em feiras comerciais internacionais em Pequim em busca de oportunidades de negócio.

Irene Lau Kuan-Va, diretora executiva do Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau, disse que os empresários do território beneficiaram grandemente do encontro com os seus congéneres de Pequim.

No âmbito deste simpósio, a Sociedade de Jogos de Macau assinou um acordo com o Grupo de Desenvolvimento Cultural Gehua de Pequim para a constituição de uma parceria para um projeto de intercâmbio cultural denominado “País das Maravilhas da Arte e Literatura”, que contará com um investimento de 2 mil milhões de iuanes (249,5 milhões de euros).

Uma outra empresa com sede em Pequim, a FAB Investment, que produz equipamentos digitais, assinou um acordo no valor de 630 milhões de iuanes (78,6 milhões de euros) com o grupo Duty de Macau, produtor de chá e outras bebidas, para exportar tecnologia.

Este simpósio, cuja primeira edição ocorreu em Pequim em setembro de 2012, visa aprofundar o relacionamento e a cooperação entre as duas cidades.

–– “Alargar a cooperação económica” entre China, Macau e Lusofonia ––

Para o presidente do governo de Pequim, Wang Anshun, “é uma grande vantagem de Macau” os laços com a Lusofonia.

O município de Pequim quer “usar Macau como plataforma para ampliar a sua influência nos países de Língua Portuguesa”, também assim disse ao jornal chinês de língua inglesa China Daily o presidente do município de Pequim, Wang Anshun.

Em 2012, o comércio entre Pequim e Macau aumentou 22 %, para 350 milhões de dólares (266,4 milhões de euros) e, segundo Wang Anshun, o município da capital chinesa – com uma área idêntica a metade da Bélgica e 20 milhões de habitantes – quer “alargar a cooperação económica” com a Região Administrativa Especial, indicou o jornal.

Óleo refinado e telemóveis são as principais exportações de Pequim para Macau, que no conjunto somaram 348 milhões de dólares (264,9 milhões de euros).

No 2º Simpósio de Cooperação e Intercâmbio Pequim-Macau, realizado na quarta-feira, 10 de julho, no território governado outrora por Portugal, até ser transferido à China em 1999, Wang Anshun manifestou-se explicitamente interessado nas áreas do turismo e das “indústrias criativas e culturais”, noticiou o China Daily.

A ligação à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) “é uma grande vantagem de Macau” e permite ao território “servir de plataforma para um mercado com quase 300 milhões de pessoas”, realçou o presidente do Instituto de Promoção do Comércio e Investimento de Macau, Jackson Chang, citado também pelo jornal.

Pequim é um dos quatro municípios chineses diretamente dependentes do governo central chinês, gozando de um estatuto igual ao de uma província, e Macau – integrado na República Popular da China em 20 dezembro de 1999 – é uma Região Administrativa Especial, com moeda própria, a pataca, e “alto grau de autonomia”.

O valor do Produto Interno Bruto per capita em Macau atingiu os 76.588 dólares (ou 58.301 euros) em 2012, cinco vezes mais do que em Pequim, refere o China Daily.

.
–– Do sítio Macauhub (Macau, China) e da RTP (Portugal) ––

*              *              *

Leia também:
Rita Santos: “Macau pode ser a porta de entrada da Lusofonia para a China” – 30 de abril de 2013
China: Foshan de portas abertas à Lusofonia empresarial – 19 de setembro de 2012
China: aproximação comercial entre Lusofonia, Macau e Mongólia Interior – 21 de julho de 2012

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: