Articles

Uma Cimeira Luso-Brasileira no Dia de Camões (II)

In O Mundo de Língua Portuguesa on 15 de Junho de 2013 by ronsoar Tagged: , , , , ,

Com dados da Agência Lusa, da BBC Brasil (Londres, Reino Unido), do sítio do Governo de Portugal e do jornal Expresso (Lisboa, Portugal)
11 de junho de 2013

:::  Os chefes de Governo confirmaram aplicação plena do Acordo Ortográfico nos dois países em 2015  :::
:::  A presidenta brasileira entregou em Lisboa o Prémio Camões de 2013 ao escritor moçambicano Mia Couto  :::
:::  Dilma Rousseff praticamente não assistiu aos concertos que encerraram o Ano do Brasil em Portugal  :::

Os chefes de Governo e ministros dos dois países reuniram-se na Cimeira Portugal-Brasil em Lisboa, realizada “em ambiente de grande cordialidade”.
 

Em visita oficial a Portugal no 10 de Junho – Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas –, Dilma Rousseff reuniu-se com o primeiro-ministro da República Portuguesa, Pedro Passos Coelho, na residência oficial do chefe do Governo português, em São Bento, onde se realizou a XI Cimeira Brasil-Portugal.

No segundo artigo da série sobre a Cimeira Portugal-Brasil e o encerramento do Ano do Brasil em Portugal, destacam-se a confirmação da implantação plena do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa nos dois países em 2015, a entrega do Prémio Camões de 2013 ao escritor moçambicano Mia Couto e a ausência da presidenta brasileira aos últimos eventos culturais do Ano do Brasil em Portugal.

*              *              *

–– Acordo Ortográfico confirmado em 2015 ––
.

O Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa (AOLP) entrará definitivamente em vigor em Portugal e no Brasil em maio e em dezembro de 2015, respectivamente. A implementação plena do Acordo de 1990 foi citada na Declaração Conjunta da XI Cimeira Portugal-Brasil, que decorreu em 10 de junho – Dia de Camões – em Lisboa, entre o primeiro-ministro da República Portuguesa, Pedro Passos Coelho, e a chefe de Estado brasileira, presidenta da República Dilma Rousseff.

.

“Tendo em conta que o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa (AOLP) entrará definitivamente em vigor em Portugal e no Brasil em maio e em dezembro de 2015, respectivamente, ambos os governantes reiteraram a importância da plena aplicação do AOLP em todos os países-membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), como forma de contribuir para o reforço da internacionalização da Língua Portuguesa. Os dois mandatários acolheram, com satisfação, os entendimentos mantidos no âmbito da CPLP com vista à elaboração dos Vocabulários Ortográficos Nacionais (VONs) e a ulterior elaboração, a partir destes, de um Vocabulário Ortográfico Comum (VOC), que consolidará tanto o léxico comum como as especificidades de cada país”, declara o documento oficial da Cimeira.

Esta solução irá contribuir assim “para a implementação, entre outros instrumentos, de corretores ortográficos, tradutores eletrónicos e sintetizadores de voz, bem como das bases terminológicas, técnicas e científicas estipuladas pelo AOLP”.

Os dois governantes congratularam-se ainda pela realização em Lisboa, no próximo mês de outubro, da II Conferência Internacional sobre o Futuro da Língua Portuguesa no Sistema Mundial, e que segundo as duas partes vai permitir “dar continuidade à reflexão sobre as políticas concertadas sobre a Língua Portuguesa em todas as suas dimensões, designadamente, como Língua de inovação e ciência”.

A Conferência de Lisboa virá em sequência à primeira, realizada em Brasília em março de 2010 e da qual resultou o Plano de Ação de Brasília para a Promoção, a Difusão e a Projeção da Língua Portuguesa.

–– Intercâmbio académico é um dos aspectos mais “auspiciosos” entre Portugal e Brasil ––
A Declaração Conjunta da XI Cimeira Portugal-Brasil, que decorreu em 10 de junho em Lisboa, refere que o intercâmbio académico é um dos aspectos mais “auspiciosos” do relacionamento entre os dois países.

“Os dois chefes de Governo salientaram a presença em Portugal de cerca de sete mil estudantes brasileiros, ao abrigo de diversos programas de cooperação, como um dos desenvolvimentos mais auspiciosos do relacionamento bilateral, nos últimos anos”, refere o documento.

O primeiro-ministro, Passos Coelho, “manifestou disponibilidade para continuar a receber doutorandos brasileiros em centros de excelência portuguesa, vontade igualmente partilhada por Dilma Rousseff”, refere a nota final da XI Cimeira entre os dois países divulgado, após o encontro entre a presidenta brasileira e o chefe do Executivo português, em Lisboa.

Os dois governantes congratularam-se ainda pela assinatura do acordo entre a Associação Nacional de Dirigentes de Instituições Federais de Ensino Superior do Brasil e o Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas, para a equivalência, reconhecimento e revalidação de diplomas de graduação nas áreas de Arquitetura e Engenharia.

Antônio Patriota e Paulo Portas assinam acordos de ensino superior e de reconhecimento de diplomas entre Brasil e Portugal no Palácio das Necessidades, em Lisboa.
 

–– Revalidação de diplomas e reconhecimento de cursos ––
O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, e o ministro das Relações Exteriores do Brasil, António Patriota, assinaram no mesmo dia, no Palácio das Necessidades, em Lisboa, acordos na área da educação e ensino superior de que se destaca o reconhecimento e certificação dos cursos de arquitetura e engenharia.

“Nós tínhamos um problema, engenheiros portugueses muito qualificados que não conseguiam exercer a sua profissão no Brasil. Qual era a razão? O reconhecimento do seu título académico. Em vez de nos pormos com microfones a protestar uns contra os outros, arregaçamos as mangas e pusemo-nos a trabalhar”, disse Paulo Portas que referiu que queria assinalar “este 10 de Junho com resultados práticos”, no “quadro da visita da Presidente Dilma Rousseff a Portugal”.

“Abre-se um caminho institucional, orgânico, com regras para que haja um sistema mais fácil de títulos académicos onde existia um problema com engenharia e com arquitetura, embora por caminhos diferenciados”, acrescentou Paulo Portas, que exortou as ordens profissionais dos respetivos setores a continuarem o trabalho diplomático que foi desenvolvido entre os dois países.

“O acordo entre as universidades e o passo que nós damos aqui é muito importante e espero que o mesmo sentido construtivo venha a existir entre as ordens profissionais dos dois países”, disse o ministro português dos Negócios Estrangeiros.

“O título académico está reconhecido, com regras. Não há razão para que os títulos não sejam reconhecidos e a possibilidade de exercício profissional não seja reconhecida”, sublinhou Portas.

–– Entrega do Prémio Camões a Mia Couto ––

Dilma Rousseff, diante de Cavaco Silva, entregou o Prémio Camões a Mia Couto: obra permite “descobrir África” com histórias “universais”.
 

Ao lado de Cavaco Silva, a presidenta brasileira Dilma Rousseff entregou à noite, no Palácio de Queluz, em Lisboa, o Prémio Camões de 2013 ao escritor moçambicano Mia Couto.

Nas palavras da presidenta brasileira, a obra do escritor Mia Couto permite “descobrir África”, viajar pelo interior de Moçambique, viver o “burburinho de Maputo” e emocionar-se com “histórias singulares, mas universais”. E disse ainda que o Prémio Camões, hoje entregue a Mia Couto no Palácio de Queluz, “servirá para aprofundar o conhecimento da obra” do autor moçambicano no Brasil.

–– Dilma Rousseff ausente do encerramento do Ano do Brasil ––
A visita teve como objetivo marcar o encerramento do Ano do Brasil em Portugal, porém, no programa oficial da presidenta, não foi incluída nenhuma participação no evento.

A presidenta brasileira Dilma Rousseff realizou uma visita privada ao Espaço Brasil, de Lisboa, para conferir uma exposição em homenagem à artista plástica brasileira Lygia Clark (1920-1988) e uma prévia de outra exposição sobre o legado artístico de Rafael Bordalo Pinheiro (1846-1905), com peças de cerámica feitas por artistas brasileiros: isto como parte das últimas atividades no Ano do Brasil em Portugal.

A festa de encerramento do Ano do Brasil em Portugal ocorreu no domingo em Lisboa, com um concerto do cantor Ed Motta – antes da chegada da presidenta brasileira a Portugal. Na noite da segunda-feira, o último espetáculo do ano de evento foi da cantora Maria Bethania, mas na mesma hora, Dilma Rousseff participou de um jantar oferecido pelo presidente Aníbal Cavaco Silva, após a entrega do Prémio Camões a Mia Couto. Este foi o último evento com a presença de Dilma Rousseff antes do retorno ao Brasil, no início da madrugada da terça-feira, 11 de junho.

Antônio Grassi, comissário-geral do Ano do Brasil em Portugal, tentou amenizar a ausência dizendo que neste ano a entrega do Prémio Camões seria incluída no âmbito da programação. Porém, o prémio é um evento anual; não consta do programa oficial. E, além disso, o premiado é moçambicano.  :::

.
Clique aqui para ter acesso ao documento da Declaração Conjunta da XI Cimeira Brasil-Portugal, divulgado em Lisboa em 10 de junho.

.
(Postado por Ronaldo Santos Soares)
–– Com dados da Agência Lusa, da BBC Brasil (Londres, Reino Unido), do sítio do Governo de Portugal e do jornal Expresso (Lisboa, Portugal) ––

2 Respostas to “Uma Cimeira Luso-Brasileira no Dia de Camões (II)”

  1. Eles estão a referir-se, não ao português, mas sim ao brasilês…

  2. Agostinho Fernandes
    Decidiram, está decidido. A partir de Maio de 2015, em toda a Nação Portuguesa passará a vigorar, como língua Nacional, o BRSAILÊS.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: