Articles

Cimeira Portugal-Espanha em Madri: promoção mútua das línguas espanhola e portuguesa

In Defesa da Língua Portuguesa, O Mundo de Língua Portuguesa on 19 de Maio de 2013 by ronsoar Tagged: , , , , , ,

Com dados do sítio do Palácio da Moncloa (Madri, Espanha)

A 26ª Cimeira Portugal-Espanha foi realizada no último dia 13 de maio na sede do governo da Espanha, o Palácio da Moncloa, em Madri.
 

No dia 13 de maio, foi realizada no Palácio da Moncloa – a sede e residência oficial do governo espanhol, em Madri –, a 26ª Cimeira Portugal-Espanha, que reuniu os primeiros-ministros das duas grandes nações ibéricas, Mariano Rajoy, da Espanha, e Pedro Passos Coelho, da República Portuguesa.

Os dois chefes de Governo celebraram o retorno da realização da Cimeira bilateral, que voltou a ser realizada anualmente desde 2009. “Espanha e Portugal partilham a visão de uma União Europeia como comunidade de destino e como projeto político baseado na paz, na democracia e na promoção dos valores fundamentais e dos Direitos Humanos. Reafirmam a convicção de que a superação da crise passará pela construção de uma Europa mais forte, unida, competitiva e solidária”, diz o documento da declaração conjunta da Cimeira, divulgado à imprensa.

“Espanha e Portugal somos países vizinhos, amigos e aliados; e compartilhamos os mesmos valores de paz, estabilidade, democracia e liberdade”, declarou Mariano Rajoy em conferência de imprensa ao final da Cimeira.

Pedro Passos Coelho e Mariano Rajoy firmaram a defesa de uma ação conjunta para superar a crise económica europeia.
 

–– União para superar a crise económica europeia ––
Os temas dominantes da reunião bilateral em Madri não foram outros senão a crise económica europeia e o aumento do desemprego que fortemente atingem ambas as nações.

Rajoy deu mensagem clara quanto à necessidade de preservar o projeto europeu de união monetária: “O euro não vai romper-se. Os Estados-membros sairemos desta crise mais fortes e a Europa continuará a ser nosso marco de bem-estar e prosperidade comum.”

Passos Coelho concordou: “Em Portugal e Espanha, não poderemos vencer a crise se não se tomarem medidas indispensáveis; mas sozinhos não poderemos vencer a crise. Necessitamos evidentemente do apoio de nossos sócios europeus e igualmente de uma resposta europeia mais intensa.”

Os chefes de Governo dos dois países anunciaram apoio à política da moeda única e à colaboração com a União Europeia, no que requer mais investimentos às micro e pequenas empresas dos países do bloco.

Da mesma forma, saudaram a realização do acordo sobre o Marco Financeiro Plurianual, para uma política europeia de apoio à pesquisa, à inovação e à competitividade entre as empresas, visando a geração de empregos e de renda. Firmaram, ainda, compromisso em reduzir o desemprego entre os jovens e incentivar as cooperativas e as empresas de desenvolvimento sustentável, bem como em reforçar os mecanismos da Segurança Social, para diminuir os níveis de pobreza em ambas as sociedades.

Além da crise e da economia, diversos outros temas de colaboração mútua foram abordados: política fiscal, comércio internacional, investimentos em transportes, geração de energia, defesa, política externa e relações internacionais (sobretudo quanto à América Latina), segurança interna, meio ambiente e recursos hídricos, pesca e cooperação transfronteiriça. Por fim, deu-se destaque à educação e à cultura.

Os dois chefes de Governo defenderam a cooperação educacional e a promoção mútua do ensino das línguas espanhola e portuguesa.
 

–– Promoção mútua das línguas espanhola e portuguesa ––
Os chefes de Governo assinaram um Memorando de Entendimento para o reforço da cooperação cultural entre os dois países, e celebraram a entrega, em outubro passado, do 4º Prémio Luso-Espanhol de Arte e Cultura a Carlos Saura – realizador do filme Fados (2007) – “por contribuir de maneira eficaz ao mútuo conhecimento cultural de ambos os países”.

Quanto à área educacional e às línguas, Rajoy e Passos Coelho “reafirmam seu interesse em seguir no apoio a todos os esforços para promover o ensino das línguas espanhola em Portugal e portuguesa em Espanha. Reiteram também”, de acordo com o documento da Cimeira, “a vontade de ambos em colaborar bilateralmente com o objetivo de elaborar estratégias comuns em temas europeus e internacionais.” E concordaram em medidas para agilizar o mútuo reconhecimento dos títulos universitários.

Ambos expressaram satisfação pela realização do Encontro Empresarial Portugal-Espanha e pelo Memorando Tripartite Portugal-Espanha-Brasil de cooperação para as investigações no Laboratório Ibérico de Nanotecnologia, instalado em Braga.

“A Península Ibérica deve continuar a ser um espaço de encontro e de intercâmbio entre portugueses e espanhóis. E assim continuaremos a trabalhar em busca de mais pontos de união e de cooperação em todos os setores e a todos os níveis”, afirmou o primeiro-ministro espanhol.  :::

.
(Postado por Ronaldo Santos Soares.)
–– Com base em dados do sítio oficial do Palácio da Moncloa, Madri, Espanha. ––

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: