Articles

Murargy: a visita a Cabo Verde e o impasse do IILP devido ao Brasil

In Língua Portuguesa Internacional, O Mundo de Língua Portuguesa on 3 de Abril de 2013 by ronsoar Tagged: , , , , ,

Da Agência Lusa

Murargy lamenta as dificuldades do IILP em relação à falta de contribuição do Brasil.

O secretário-executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) admitiu no dia 29 de março à Agência Lusa que o instituto que promove o idioma de Camões, com sede em Cabo Verde, está com “muitas dificuldades” financeiras e burocráticas devido ao Brasil.

Murade Murargy falava à Agência Lusa na Cidade da Praia momentos depois de chegar a Cabo Verde, oriundo da Guiné-Bissau, para uma visita oficial de três dias a convite do primeiro-ministro cabo-verdiano, José Maria Neves, e aludia à situação de impasse em que vive o Instituto Internacional de Língua Portuguesa (IILP).

.
“O IILP está com muitas dificuldades, sobretudo financeiras e burocráticas. Um dos maiores contribuintes, o Brasil, ainda não pagou a sua contribuição e não aprovou o orçamento, deixando o instituto num sufoco financeiro”, disse, lembrando que a maioria dos restantes membros da CPLP já cumpriu com as obrigações financeiras.

A questão é uma das que o secretário-executivo da CPLP colocou em análise com o diretor-executivo do IILP, Gilvan Müller de Oliveira, em reunião ocorrida na terça-feira, dia 2, na sede da instituição.

Murargy, cuja visita oficial a Cabo Verde começou na segunda-feira, 1 de abril, indicou à Lusa que, na Cidade da Praia, analisou com as autoridades cabo-verdianas vários aspetos ligados à atividade da organização, cujo objetivo, defendeu, deve ser repensado, bem como os relacionados com a crise político-militar na Guiné-Bissau e a adesão da Guiné Equatorial à CPLP.

–– Sobre Guiné Equatorial e Guiné-Bissau ––
Sobre a adesão da Guiné Equatorial, Murargy referiu que esteve recentemente em Malabo, onde conversou com as autoridades locais sobre a proposta, lembrando que, aos poucos, a Guiné Equatorial está a cumprir o estabelecido, dando como exemplo a oficialização da Língua Portuguesa e a abertura de uma embaixada em Lisboa.

A Guiné Equatorial, cujo Parlamento foi dissolvido na semana passada, vai realizar eleições legislativas em maio próximo, pelo que o assunto voltará a ser abordado na reunião de julho do Conselho de Ministros da CPLP, em Maputo, acrescentou, sem avançar mais pormenores sobre o estado do processo de adesão.

O moçambicano que substituiu à frente da CPLP o guineense Domingos Simões Pereira em 2012, questionado pela Lusa sobre a situação na Guiné-Bissau, onde esteve nos últimos dias, admitiu tratar-se de um processo “difícil e complexo”, embora se esteja a caminhar para a conclusão de um Pacto de Regime e de um Roteiro de Paz.

“Reuni-me com as autoridades guineenses e com muitas personalidades locais e começou-se a trabalhar para o Pacto de Regime e para o Roteiro de Paz, para que haja um futuro governo inclusivo para preparar as eleições” previstas para antes do final do ano, sublinhou Murargy.

–– Murargy em visita a Cabo Verde ––

Murade Murargy permanecerá até 5 de abril na Cidade da Praia, em Cabo Verde.
 

Sobre a ida a Cabo Verde, que surgiu a convite do chefe do Executivo cabo-verdiano, Murargy salientou ser a primeira vez que está no arquipélago e que pretende refletir com as autoridades locais o futuro da CPLP, para que a organização “não fique colada” à imagem de mais uma instituição internacional.

Indicando tratar-se de uma ideia que surgiu numa conversa recente com o chefe da diplomacia cabo-verdiana, Jorge Borges, o secretário-executivo da CPLP salientou a importância de Cabo Verde na reflexão, pois trata-se de um país “com um bom prestígio internacional”, já de rendimento médio e com uma “boa governação”.

Na Cidade da Praia, de onde parte para Lisboa na noite de 5 de abril, Murargy será recebido em audiências pelo chefe de Estado, Jorge Carlos Fonseca, pelo presidente do Parlamento, Basílio Ramos, e pelo primeiro-ministro, José Maria Neves.

Durante a estada no arquipélago, o secretário-executivo da CPLP participa também de encontros de trabalho com Jorge Borges e com as ministras cabo-verdianas da Educação e Desporto, Fernanda Marques, e Desenvolvimento Rural, Eva Ortet, para analisar a questão da segurança alimentar e nutricional, “transversal à saúde e educação”.

No programa oficial, estão ainda previstas visitas à Fundação Amílcar Cabral, presidida pelo ex-chefe de Estado cabo-verdiano Pedro Pires e com sede na Cidade da Praia, e ao Centro de Formação Médica Especializada da CPLP (CFME-CPLP).

A 4 e 5 de abril, já fora da esfera oficial, Murargy participa, ainda na Cidade da Praia, na Conferência Luso-Francófona de Saúde (Colufras), que congrega um crescente número de instituições, associações e profissionais da saúde dos países francófonos e lusófonos, principalmente do Brasil e do Canadá.

–– “Repensar a CPLP” ––

Murargy defende em conferência na Cidade da Praia o tema “Repensar a CPLP”.

Murade Murargy, profere, esta quarta-feira, 3 de abril, no Ministério das Relações Exteriores de Cabo Verde, na Praia, a conferência com o tema “Repensar a CPLP”, para adequar a Comunidade lusófona aos desafios dos novos tempos.

“Na altura da criação da CPLP, há 17 anos, Angola estava em guerra, a Guiné-Bissau tinha os problemas que tem, Moçambique tinha acabado de sair de uma guerra, Portugal tinha entrado recentemente para a União Europeia, o Brasil tinha os seus problemas e Cabo Verde, que era estável, fazia parte dos países menos avançados. O mundo mudou, Angola é hoje uma potência emergente, Moçambique está a trabalhar com crescimento considerável, Cabo Verde saiu da renda pequena para renda média, Brasil é hoje a quinta potencia mundial, Portugal agora tem dificuldades, mas são dificuldades que podem ter soluções a médio prazo, e temos um novo membro que é Timor-Leste”, notou o secretário-executivo da CPLP.

Para Murargy, “é uma situação nova que se apresenta à CPLP e nós temos que repensar isso, ver os objetivos, se os mesmos objetivos de 1996 servem para esta era da globalização”.  :::

.
–– Extraído da Agência Lusa ––

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: