Archive for 15 de Agosto, 2012

Articles

Jorge Amado: mais homenagens em Salvador e na Academia Brasileira de Letras

In Lusofonia e Diversidade,O Mundo de Língua Portuguesa on 15 de Agosto de 2012 por ronsoar Tagged: , , , ,

da Academia Brasileira de Letras e do Museu de Arte Moderna da Bahia (Brasil)
13 de agosto de 2012

.

Mais dois eventos em homenagem a Jorge Amado (1912-2001), o autor brasileiro de maior renome internacional, ocorrem em simultâneo no Brasil. Chegou em Salvador, ao Museu de Arte Moderna da Bahia, a mostra Jorge Amado e Universal, que esteve em cartaz em São Paulo, no Museu da Língua Portuguesa, de 17 de abril a 22 de julho. O outro evento ocorre no Rio de Janeiro, no Centro Cultural da Academia Brasileira de Letras, onde tem lugar a exposição Jorge Amado – 100 Anos.

..

.
–– Jorge Amado – 100 Anos, na Academia Brasileira de Letras ––
A Academia Brasileira de Letras (ABL), em sua sede no Rio de Janeiro, inaugurou na terça-feira, dia 31 de julho, a exposição Jorge Amado – 100 Anos.

Será mais uma mostra em homenagem ao centenário de nascimento do acadêmico e escritor Jorge Amado, que se completou no dia 10 de agosto de 2012.

No primeiro andar do prédio do Centro Cultural da Academia, aparece ao fundo um grande painel com as capas das edições internacionais das obras literárias do grande autor baiano, traduzidas em vários idiomas. No mesmo local, foi feita oficialmente a abertura da exposição pela presidente da ABL, Ana Maria Machado.

“É emocionante constatar: cada geração se apropria da obra de Jorge Amado de uma forma nova. Já foi um modelo de luta política, uma ponte para leituras eróticas, um mergulho no humor e na imaginação. Hoje ela é redescoberta como uma denúncia profética sobre a infância abandonada, um brado pela ação ecológica, uma aposta na independência feminina ou um anunciador do sincretismo cultural brasileiro. Esta exposição aponta alguns pontos de referência sobre a obra de Amado. Personagens inesquecíveis, cenários marcantes, situações emblemáticas povoam seus romances. Em seu conjunto, vai além da mera fruição: propõe ideias e levanta discussões. A elas, pois. É o convite que a ABL deixa a todos. Vamos ler ou reler Jorge Amado. E entrar nesse debate, a partir do que ele escreveu. Esta mostra pode ser um bom começo para isso”, afirmou Ana Maria Machado.

Ana Maria Machado: “Cada geração lê a obra de Jorge Amado de uma forma nova”.

.
Na exposição, o público terá a oportunidade de conhecer, por exemplo, as primeiras edições dos livros de Jorge Amado, inclusive os editados na década de 1930, quando começou a ocupar espaço como autor. E também toda a cronologia de sua história de vida desde o nascimento na Fazenda Auricídia, então parte de Ilhéus – hoje município de Itajuípe, interior da Bahia. Há também painéis de fotos ao lado de personalidades brasileiras e estrangeiras, bem como uma reprodução de cartaz de propaganda de Jorge Amado ao candidatar-se deputado pelo Partido Comunista Brasileiro e uma grande foto do líder comunista brasileiro Luiz Carlos Prestes.

.
A exposição contará ainda com a exibição de filmes, novelas e séries de televisão criados com base nos livros do escritor baiano. A seleção foi feita por um dos principais nomes do cinema brasileiro, Nelson Pereira dos Santos.

.
A mostra Jorge Amado – 100 Anos estará aberta ao público, de segunda a sexta-feira, das 10 às 18 horas, no primeiro andar do Centro Cultural da Academia Brasileira de Letras, até o dia 28 de setembro.

*             *             *

A mostra Jorge Amado e Universal está em cartaz no Museu de Arte Moderna da Bahia.
 

–– Jorge Amado e Universal, no Museu de Arte Moderna da Bahia ––
Também como parte das comemorações do centenário de Jorge Amado, o Museu de Arte Moderna da Bahia homenageia o escritor baiano com a exposição Jorge Amado e Universal.

Inaugurado em 1960, o Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM) localiza-se no Solar do Unhão, em Salvador – casarão colonial português de fins do século XVII. A mostra ocupa o térreo do solar, a capela e a Galeria 1 do museu em Salvador, com fotografias, objetos, folhetos de cordel, filmes e imagens, cuja maioria é de exibição inédita para o público.

“Essa exposição é um desafio prazeroso de cumprir, tendo em vista a importância e o alcance do homenageado e de sua obra. Buscamos elementos para que o público mergulhe em um vasto repertório de conteúdos sobre o homem, o escritor e a obra”, relata William Nacked, diretor-geral da exposição. “O público no Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, já ultrapassou 130 mil pessoas. Tenho certeza de que em sua terra Jorge Amado vai fazer ainda mais sucesso.”

Para a diretora do Museu de Arte Moderna da Bahia, Stella Carrozzo, “esta mostra apresentada ao povo baiano – personagem principal da obra de Jorge Amado – no conjunto arquitetônico Solar do Unhão do século XVII, sede do MAM da Bahia, potencializa ao público visitante a experiência e entendimento do caráter histórico, social e antropológico de sua obra”.

A exposição é dividida em módulos distintos, cada um deles dedicado a um aspecto marcante na vida do autor. “Não tivemos a pretensão de esgotar nem a biografia nem a criação ficcional de Jorge Amado. A ideia é fornecer pistas, sugerir caminhos, para que o visitante fique instigado, tenha vontade de ler e de descobrir mais depois da exposição”, informa Nacked.

O Museu de Arte Moderna da Bahia localiza-se no Solar do Unhão,
um histórico casarão do século XVII em Salvador.

 

A mostra completa-se com extensa programação educativa desenvolvida pelo Núcleo de Arte e Educação do Museu, oferecida a diferentes públicos durante os três meses de exposição.

A realização de Jorge Amado e Universal é da Grapiúna e da Fundação Casa de Jorge Amado, em parceria com a Secretaria de Estado da Cultura da Bahia, através da Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia e do Museu de Arte Moderna da Bahia.

A visitação de Jorge Amado e Universal é gratuita e acontece de 10 de agosto a 14 de outubro: de terça a sexta, das 13 às 19 horas, e sábados, domingos e feriados, das 14 às 19 horas.

.
Centro Cultural da Academia Brasileira de Letras
Avenida Presidente Wilson, 203 – Castelo – Centro – Rio de Janeiro

Museu de Arte Moderna da Bahia – Solar do Unhão
Avenida Lafayete Coutinho – Comércio – Salvador, Bahia

.

–– Extraído da Academia Brasileira de Letras e do Museu de Arte Moderna da Bahia (Brasil) ––

Articles

22ª. Bienal Internacional do Livro de São Paulo – Brasil

In Lusofonia e Diversidade,O Mundo de Língua Portuguesa on 15 de Agosto de 2012 por ronsoar Tagged: , , , , ,

::: Evento acontece no Palácio de Exposições do Anhembi e vai até o dia 19 de agosto :::


 

No dia 9 de agosto, foi aberta a 22ª. Bienal Internacional do Livro de São Paulo – um dos maiores eventos do mercado editorial da América Latina.

Para a edição deste ano da feira de livros, vieram para a maior cidade do Brasil cerca de 480 expositores – 37% a mais do que na última edição, ocorrida em 2010. Dentre os expositores, 134 são estrangeiros, principalmente vindos da Alemanha, da Suíça, da França, da Espanha, da Bélgica, da China, da Coreia do Sul, do Japão, da Colômbia, do Peru e do Canadá.

Para a edição deste ano da Bienal do Livro, espera-se um público de 800 mil visitantes.

Jorge Amado e Nelson Rodrigues, escritores brasileiros cujo centenário de nascimento é celebrado em 2012, receberão homenagens durante a programação.

Serão ao todo 1.250 horas de atividades com 18 autores estrangeiros convidados.

O tema deste ano é Porque Livros Transformam o Mundo, Porque Livros Transformam Pessoas.

O evento ocupa um espaço de 60 mil metros quadrados do Pavilhão de Exposições do Anhembi, na Zona Norte da Cidade de São Paulo. A Bienal do Livro paulistana é promovida pela Câmara Brasileira do Livro e será realizada até o dia 19 de agosto.

A primeira feira do livro em São Paulo foi realizada em 1951, mas o formato atual da Bienal Internacional do Livro realizou-se pela primeira vez em agosto de 1970 no Pavilhão do Parque do Ibirapuera. Para receber maior público, desde 2006, a Bienal do Livro paulistana passou a ter lugar no Pavilhão de Exposições do Anhembi, localizado ao lado da Marginal Tietê.

–– Despertar os jovens à leitura ––
Os organizadores esperam receber 800 mil visitantes em 2012. Um número um pouco superior que o público presente em 2010, quando houve a visitação de 740 mil pessoas.

O Observatório do Turismo, núcleo de pesquisas ligado à São Paulo Turismo – Empresa de Turismo e Eventos da Cidade de São Paulo, vai levantar o perfil do visitante da Bienal do Livro. Serão distribuídos 1.600 questionários.

Na pesquisa feita em 2010, verificou-se que 70% dos visitantes eram mulheres e que 45,8% deles tinham ensino superior completo. Cada visitante do evento realizado há dois anos gastou, em média, 388 reais (ou 156 euros).

Os pesquisados em 2010 elogiaram São Paulo nos quesitos hospedagem, opções culturais, entretenimento, compras e gastronomia.

A edição deste ano da Bienal do Livro de São Paulo quer atrair
o público jovem à leitura impressa.

 

Um dado sobre o público jovem – a pesquisa do Observatório do Turismo quanto à Bienal de 2010 revelou que 34% dos visitantes tinham faixa de idade entre 14 e 25 anos. A feira do livro de São Paulo quer conquistar o público das novas gerações indo além da literatura.

Mansur Bassit crê no atual formato do evento para formar um público leitor
nas novas gerações.

.
“Fala-se muito em despertar a leitura, mas isso não vem somente através do livro. Quando se desperta uma criança para as artes em geral, onde é que ela vai buscar conteúdos? Nos livros”, responde Mansur Bassit, diretor-executivo da Câmara Brasileira do Livro.

.
Os representantes das editoras concordam, cientes de que montar um estande na Bienal do Livro de São Paulo significa aproximar-se de forma direta do público leitor. “Ela é mais generalista do que a FLIP [Festa Literária Internacional de Parati], com um público mais amplo e diversificado. Apostamos nos jovens, que têm sido muito fiéis em buscar novidades”, aponta Sônia Jardim, vice-presidente do Grupo Editorial Record.

.
Diante dessa expectativa, os organizadores da Bienal do Livro de São Paulo rejeitam a hipótese de que o formato da feira do livro, de intensa aglomeração de visitantes, esteja falido. “Se fosse assim, não teríamos 480 expositores, com o dobro de participantes internacionais”, apontou Mansur Bassit.

.
22ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo
De 9 a 19 de agosto de 2012, as 10 às 22 horas.
Pavilhão de Exposições do Anhembi
Av. Olavo Fontoura, 1.209 (ao lado da Marginal Tietê) – Santana
São Paulo – Brasil

.
(Postado por Ronaldo Santos Soares.)