Articles

Empresários da Lusofonia defendem uma aliança para a cooperação económica

In O Mundo de Língua Portuguesa on 16 de Julho de 2012 by ronsoar Tagged: , , ,

De Natacha Roberto, do Jornal de Angola
9 de julho de 2012

.
O Fórum de Negócios de Angola, da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, realizado no último dia 6 de julho em Luanda, recomendou que os Estados-membros estabeleçam uma aliança estratégica para a cooperação económica, como pilar da integração da comunidade lusófona.

Carlos Simbine (em pé, à dir.) defendeu maior cooperação e parcerias empresariais entre os países lusófonos.

Responsáveis institucionais, peritos e empresários do espaço lusófono reunidos no evento consideraram importante o desenvolvimento dos setores das Tecnologias de Infor-mação, agricultura, infraestruturas, energia e turismo, bem como a criação de mecanismos adequados para o financiamento dos projetos.

Nessa acepção, anunciaram a criação de um fundo de capital de risco, cujo modelo está em estudo, sabendo-se já que deve atuar com base na participação de empresas da CPLP.

.

O novo presidente da Confederação Empresarial da CPLP (CE-CPLP), o moçambicano Carlos Simbine, disse na ocasião que o órgão que dirige vai apostar na promoção de investimentos, modernizar o tecido empresarial e introduzir novas tecnologias para reforçar a integração dos países-membros no mercado internacional.

“O estado atual da nossa organização exige de todos os países da comunidade um esforço mútuo para a construção de plataformas de cooperação e a fundação de parcerias empresariais em benefício das nações”, disse.

Carlos Simbine, que tomará posse na presidência da CE-CPLP em setembro próximo em Maputo, sucede a angolana Albina Assis Africano no cargo.

–– Importância da Língua Portuguesa nos negócios ––

O ministro da Economia de Portugal, Álvaro Santos Pereira, destacou a criação de mecanismos de apoio aos negócios no espaço lusófono.

A CPLP está a ganhar cada vez mais um papel de relevo no mapa da economia mundial, afirmou, pelo que o desempenho crescente do Brasil e de Angola, o sucesso dos modelos económicos de Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste e o enorme potencial que os outros países-membros possuem demonstram a importância de unir esforços para transformar as crises em oportunidades. Carlos Simbine prometeu trabalhar na promoção e materialização de ações que visem o aumento do fluxo de investimentos a nível dos países.

O ministro da Economia da República Portuguesa, Álvaro Santos Pereira, considerou a Língua Portuguesa como um instrumento importante para a criação de uma rede de negócios a nível da CPLP e susceptível de alargar as parcerias empresariais.

Álvaro Santos Pereira, que, no dia 6, discursou no encerramento do Fórum Internacional de Negócios da comunidade, destacou a criação de mecanismos de apoio às empresas da CPLP, como os seguros e as linhas de crédito, cruciais para a melhoria do clima de negócios no espaço lusófono.

O ministro português apontou o reforço das capacidades humanas e institucionais, além da facilidade na atribuição de vistos empresariais, como cruciais para a criação de um ambiente de negócios favorável aos empresários da Lusofonia.

.

ROBERTO, Natacha. Comunidade de Língua Portuguesa quer uma aliança para a cooperação.
Do Jornal de Angola – Luanda, Angola.
Publicado em: 9 jul. 2012.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: