Articles

IILP: Carta de Luanda sobre a Língua Portuguesa nas Organizações Internacionais

In Defesa da Língua Portuguesa on 9 de Julho de 2012 by ronsoar

Colóquio Internacional de Luanda
“A Língua Portuguesa nas Organizações Internacionais”

CARTA DE LUANDA

Considerando que o Plano de Ação de Brasília para a Promoção, a Difusão e a Projeção da Língua Portuguesa no Sistema Mundial, adotado na VIII Conferência de Chefes de Estado e de Governo, realizada em Luanda em julho de 2010, constitui um documento estratégico pragmático que fixa os objetivos a concretizar;

Considerando que o Plano de Ação de Brasília realça uma crescente afirmação mundial do Português e propõe, para o efeito, uma estratégia para a sua contínua e efetiva implementação nas Organizações Internacionais como língua oficial e de trabalho;

Considerando que os países da CPLP têm desenvolvido iniciativas para a promoção e difusão da Língua Portuguesa, numa atuação conjunta no processo da sua mundialização, nomeadamente nas Organizações Internacionais, Regionais e Agências Especializadas;

Considerando que entre as medidas mais importantes para a promoção da Língua Portuguesa constam também as medidas tomadas na VII Conferência de Chefes de Estado e de Governo da CPLP, realizada em Lisboa, em julho de 2008, refletidas na sua Declaração sobre a Língua Portuguesa;

Considerando as pertinentes formulações da Carta da Praia, de novembro de 2011, adotada pelo Colóquio Internacional sobre a Língua Portuguesa nas Diásporas, e da Carta de Guaramiranga, de abril de 2012, adotada pelo Colóquio Internacional sobre a Língua Portuguesa na Internet e no Mundo Digital;

Considerando a importância da presença e do papel da Língua Portuguesa nas organizações e fóruns internacionais em todos os aspectos do desenvolvimento, desde a interação social e compreensão mútua entre os povos até à promoção do diálogo entre culturas, à educação e à informação, bem como o acesso e transferência do conhecimento científico e tecnológico;

Os participantes do Colóquio de Luanda sobre a Língua Portuguesa nas Organizações Internacionais, realizado de 03 a 05 de julho de 2012, recomendam ao Instituto Internacional da Língua Portuguesa:

– a produção de um texto informativo nas seis línguas oficiais das Nações Unidas sobre a situação do Português e o empenho dos países da CPLP na sua adoção como língua oficial da ONU e das suas Agências;

– a organização de um fórum de debates de planificação linguística envolvendo os blocos regionais – União Africana, União Europeia, SADC, Mercosul, CEDEAO, CEEAC, ASEAN e Estados ACP, entre outros – com vista à internacionalização do Português nos organismos internacionais;

– a atuação, junto das organizações internacionais, no sentido de fomentar o processo de ensino-aprendizagem do Português como língua estrangeira, visando estimular a proficiência dos seus funcionários;

– a criação de uma comissão que proceda à inventariação dos programas e consórcios de cursos de tradutores e intérpretes, nos países da CPLP, visando um melhor conhecimento neste domínio e o seu desenvolvimento;

– a produção e disponibilização, na página eletrónica do Instituto, de um registo de tradutores/intérpretes e de instituições que ofereçam estes serviços nas cidades-sede das Organizações Internacionais ou que acolhem eventos internacionais, de modo a disponibilizar rapidamente a informação;

– a criação de um portal de informações para o registo de obras terminológicas com equivalentes em português, na forma de um inventário dos trabalhos terminológicos já realizados em Língua Portuguesa em diversos âmbitos, contendo:
a) dados de identificação de instrumentos terminológicos (glossários, léxicos especializados, dicionários técnico-científicos, bancos de dados terminológicos);
b) conjuntos terminológicos já sistematizados e disponíveis para consulta;

– a contribuição, no contexto da realização, no Brasil, do Campeonato Mundial de Futebol, em 2014, e dos primeiros Jogos Olímpicos num país de Língua Portuguesa, a ocorrer em 2016, para a criação de um banco de dados terminológicos na área. Ainda neste âmbito, diligenciar, junto do Comité Olímpico e Paraolímpico Internacional, para a admissão do Português como língua de trabalho.

Recomendam, igualmente, à organização da II Conferência Internacional sobre o Futuro do Português no Sistema Mundial:

– a sensibilização dos países da CPLP para a convergência na definição de uma política de língua multilateral;

– a participação de regiões que, embora pertencentes a Estados externos à CPLP, integram na sua identidade elementos linguísticos e culturais desta Comunidade;

– a abertura ao envolvimento da sociedade civil na concepção, realização e avaliação das atividades da II Conferência;

– a inclusão, na agenda, do tema referente à oferta de cursos de formação de gestores de terminologia nos países da CPLP;

– o desenvolvimento de sinergias para a promoção da Língua Portuguesa como língua de relação e como língua internacional, dados os laços privilegiados entre a China e os países de Língua Portuguesa, através do Fórum de Macau.

Luanda, 05 de julho de 2012

Instituto Internacional da Língua Portuguesa

.
Carta de Luanda do Colóquio do IILP
“A Língua Portuguesa nas Organizações Internacionais”.
Disponível no Blogue do IILP.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: